Taxistas vão apresentar à SSP projeto para rastrear veículos em tempo real

A fim de reduzir os índices de assaltos e facilitar a identificação de veículos furtados ou roubados, os taxistas que atuam em Salvador e região metropolitana vão apresentar à Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) um projeto propondo a implantação de rastreadores e bloqueadores de táxi.

Em entrevista , o presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Denis Paim, informou que o órgão garantiu que ainda este ano irá se reunir com a categoria para receber a proposta. O encontro deve ocorrer na próxima semana.

“Já fechamos parceria uma empresa. Se tudo der certo, os carros serão monitorados já a partir do início de janeiro de 2020. É um projeto de prevenção. A gente sabe que nunca vai conseguir prevenir o roubo, mas será menos sofrido, uma vez que levam nossos veículos e muitas vezes ficamos de quinze a trinta dias sem saber onde o veículo está”, afirmou.

No início deste mês de dezembro, mais especificamente no dia 2, o porta-voz da categoria também entrou para as estatísticas. Ele foi sequestrado, junto com seu veículo, ficando refém dos assaltantes por cerca de cinco horas.

O assalto foi anunciado no bairro de Campo Grande, em Salvador, mas o taxista só foi libertado em Simões Filho, região metropolitana. Os bandidos seguiram com o veículo e, após fazer a retirada de diversas peças, abandonou o automóvel no município de Candeias.

Foto: Divulgação/AGT
Foto: Divulgação/AGT

Somente este ano a AGT, registrou 402 taxistas assaltados. Desse total, 209 veículos foram levados. “Com esse projeto de rastreamento, onde o carro estiver, a SSP, junto com a empresa, poderão localizar e bloquear o veículo. Enquanto estiver indo para a localidade em que o veículo foi identificado, poderá fazer o bloqueio. Ao se assaltado, o taxista que tiver o bloqueador poderá ligar para a empresa e mandar bloquear seu carro, que estará sendo rastreado em tempo real”, explicou Paim.

Se for aprovado pela SSP, o taxista que desejar aderir ao serviço pagará R$ 150 no rastreador, além de mensalidade no valor de R$ 30, garantindo o monitoramento em tempo real.

Silvio Caldas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *