“Por que Jesus não poderia ser gay?”, questiona vereadora baiana ao defender Porta dos Fundos

A vereadora Aladilce Souza (PCdoB) incendiou o Plenário da Câmara Municipal de Salvador ao questionar a sexualidade de Jesus Cristo e rebater a bancada evangélica da Casa, que protestou contra o especial de Natal do Porta dos Fundos, intitulado “A Primeira Tentação de Cristo”. O programa é transmitido pela Netflix.

Os vereadores Isnard Araújo (PHS), Cátia Rodrigues (PHS) e Ricardo Almeida (PSC) protestaram mais uma vez contra a atração, que apresenta Jesus Cristo (Gregório Duvivier) como homossexual, na sessão ordinária desta quarta-feira (18). Isnard se irritou quando a bancada de oposição defendeu um projeto contra intolerância religiosa na capital baiana, sendo que um dia antes votou contra a moção de repúdio que critica o programa.

“Por que Jesus não poderia ser gay?”, questionou Aladilce. Neste momento, iniciou-se um burburinho no Plenário. Joceval Rodrigues (Cidadania) foi ao microfone criticar a edil. “Tem que respeitar a fé dos outros”, destacou o vereador, que é ligado a Igreja Católica.

O líder de governo, Paulo Magalhães Jr. (PV), também foi ao microfone comentar a declaração de Aladilce.  “Venho aqui para lamentar a declaração da vereadora que me antecedeu. É de chocar todos nós”, alfinetou.

O especial do Porta dos Fundos tem causado polêmica nacional. Os produtores do programa, no entanto, defendem-se ao lembrar que um ano antes também fizeram um especial retratando Jesus como assassino e que nem por isso o episódio gerou tanta polêmica.

Outros comediantes, a exemplo de Paulo Vieira, também defenderam o grupo de humor.  “Com a repercussão negativa do especial do Porta dos Fundos, o Brasil tá dando o seu recado: Jesus que volte hétero cuspindo no chão, se volta gay, ou mesmo afeminado é cruz de novo! Vamos matar até vir uma versão top. Jesus, a única coisa que evolui em 2 mil anos foram os pregos”, declarou o comediante da Globo nas redes sociais.

Silvio Caldas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *